22 de janeiro de 2019

Se eu sou igual a você, o que me diferencia?

Simon precisou tirar algo do armário, assim como eu e todo mundo. O que você precisa tirar do armário?

Filme com amor simon

Nos últimos anos, filmes LGBT começaram a ganhar espaço no cinema, principalmente pelo reconhecimento nas Academias, como Moonlight e Me chame pelo seu nome que ganharam estatuetas no Oscar de 2017 e 2018, e a tendência é que, pouco a pouco, os filmes LGBT ganhem mais visibilidade, espaço nos cinemas e que gerem discussões sociais (manda mais que tá pouco!).

Em meio dessa transição cinematográfica, nasce o filme Com amor, Simon, adaptação do livro Simon vs a agenda homo sapiens de Becky Albertalli, que traz uma trama e linguagem leve, voltada ao público jovem, se diferenciando dos outros filmes da temática, que muitas vezes são mais adultos e com finais infelizes.
Meu nome é Simon e eu sou igual a você.
De início somos apresentados a Simon, um garoto como qualquer outro adolescente, com grandes amizades, uma família normal e com problemas no colégio. E o que diferencia Simon de outras pessoas? O simples fato dele ser gay e ter o embate interno em anunciar ao mundo uma parte de quem ele é. Com esse segredo, Simon se afasta das pessoas e faz de tudo para que sua intimidade não seja revelada.

Em meio a trama, iremos acompanhar o primeiro amor de Simon, um garoto misterioso chamado Blue. Por meio de correspondências eletrônicas, Simon e Blue iniciam uma amizade com troca de confidências e vamos acompanhando a trajetória do garoto na busca de Blue e na identificação de seus sentimentos.

Com cenas emocionantes, um elenco bem escolhido, uma cenografia que deixa a história mais leve e acolhedora para o telespectador, a película cativa desde o início. Apesar de ser uma obra repleta de humor e leveza, Com amor, Simon é um filme para se questionar, colocando-se no lugar do outro. Se um gay é igual a qualquer outra pessoa, por que a sua orientação sexual influencia sua vivência e formas de encarar situações cotidianas?

O que me encantou na história é a leveza do romance e no progresso do relacionamento entre o protagonista com Blue. Em tempos de discussões negativas, homofobia e uma listagem gigantesca de filmes LGBT dramáticos com finais infelizes – com o casal separado ou até mesmo com uma morte inesperada –, Com amor, Simon é um dos poucos longas que aborda a temática gay com uma essência amena, que não é sobre a descoberta de ser gay ou não, mas a coragem que é necessária para dizer quem você é para o mundo e isso gera uma identificação com o telespectador, homossexual ou não, porque todos têm segredos e medo do mundo.
 Anunciar quem você é para o mundo é aterrorizante. Por quê? E se o mundo não gostar de você?

Nenhum comentário:

Postar um comentário